Vício em Comida: Isso É Possível?

Durante o mês de agosto tive a oportunidade de participar de uma atividade online, à convite da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), acompanhando o Congresso Americano de Especialistas em Educação e Cuidados em Diabetes (ADCES 2021, sigla em inglês).

Durante o evento, a Dra. Robin Edelman abordou um tema muito interessante, chamado “Food Addiction”, que é traduzido para vício ou adição à comida.

O conceito de vício em comida é uma questão recorrente na descrição clínica da alimentação anormal, porém não é considerado como um transtorno alimentar.

A ideia de que uma pessoa pode ser viciada em comida vem ganhando cada vez mais apoio. Isso vem de imagens cerebrais e outros estudos sobre os efeitos da alimentação compulsiva nos centros de prazer no cérebro.

Centros de Recompensa

Experimentos em animais e humanos mostram que, para algumas pessoas, os mesmos centros de recompensa e prazer do cérebro que são acionados por drogas viciantes – como a cocaína e a heroína – também são ativados pelos alimentos, especialmente alimentos altamente palatáveis, ricos em açúcar, gordura ou sal.

Eles podem desencadear ​ substâncias químicas cerebrais que fazem você se sentir bem, como a dopamina. Uma vez que as pessoas experimentam o prazer, associado ao aumento da transmissão de dopamina na via de recompensa do cérebro, ao comer certos alimentos, elas rapidamente sentem a necessidade de comer novamente.

A hiperglicemia pode piorar este quadro, pois pode ocorrer polifagia, ou seja muita fome, uma consequência da glicose alta no sangue.

O vício em comida é diferente do Transtorno de Compulsão Alimentar (TCA).

Atenção aos Fatores

Episódios de compulsão alimentar estão associados com três ou mais dos seguintes fatores:

  • comer muito mais rapidamente do que o normal (período 2hs);
  • comer até se sentir desconfortavelmente cheio;
  • comer grandes quantidades de comida quando não esteja fisicamente com fome;
  • comer sozinho por se sentir envergonhado pela quantidade que está comendo;
  • sentir nojo de si mesmo, deprimido ou culpado após ter comido muito.

Estes episódios ocorrem pelo uma vez por semana durante três meses.

O chamado vício em comida pode ter alguns sintomas em comum, mas não preenchem todos os critérios para ser considerado como um Transtorno Alimentar.

Fique atento e na dúvida, procure um especialista para esclarecer o que você está sentindo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *