Corona Vírus e Como se Prevenir

Compartilhando informação segura, evitando as Fake News sobre o Corona Vírus, a Consultora Médica da Revista EmDiabetes explica mais detalhes e os cuidados para quem tem diabetes.

Como ocorre a propagação do Coronavírus?

Até o momento, acredita-se que o vírus se espalhe principalmente de um indivíduo para outro. Isto pode ocorrer entre pessoas que estão em estreito contato (até cerca de  um metro e meio) e/ou através das gotículas respiratórias produzidas quando uma pessoa infectada pelo vírus tosse ou espirra. Essas gotículas podem pousar na boca ou no nariz de quem estiver próximo ou, possivelmente, serem  inaladas até os pulmões.

O vírus também pode se instalar em superfícies de contato, como cadeiras, mesas, maçanetas que tenham sido tocadas atingidas pelas gotículas que vêm de um espirro ou tosse.  Com isso, é possível que uma pessoa se contamine com o COVID-19 tocando nestas superfícies ou objetos que contenham o vírus e, tocando em seguida, sua própria boca, nariz ou olhos.

Alguém pode espalhar o vírus sem estar doente?

As pessoas que são consideradas mais contagiosas são as mais sintomáticas (as mais doentes). Mas pode existir também alguma propagação antes que as pessoas mostrem sintomas. Já houve relatos de que isso tenha ocorrido com esse novo coronavírus, mas essa não é a principal forma de propagação do vírus.

Com que facilidade o vírus se espalha?

Atualmente, o CDC (Center for Disease Control and Prevention) acredita que os sintomas do COVID-19 possam aparecer em apenas 2 ou até 14 dias após a exposição ao vírus. De acordo com os dados que vem sendo atualizados a cada momento, o que se sabe é que vem se espalhando de forma rápida, em diferentes países (China, Irã, Itália, Alemanha, França, Japão, Coréia do Sul, Coreia do Norte, Camboja, Filipinas, Malásia, Vietnã, Singapura, Tailândia, Austrália, Emirados Árabes e, agora, Brasil).

Como Prevenir o Coronavírus  2019 (COVID-2019)?

Atualmente não há vacina para prevenir a doença de coronavírus 2019 (COVID-19).  A melhor maneira de prevenção é evitar se expor a esse vírus. No entanto, a World Health Organization (WHO) recomenda algumas ações e cuidados preventivos:

  • Evite contato próximo com pessoas que possam apresentar sinais ou sintomas de doenças respiratórias;
  • Evite tocar seus olhos, nariz e boca, caso esteja em locais públicos sem estar com as suas mãos limpas;
  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, principalmente depois de ir ao banheiro, antes de comer e depois de assoar o nariz, tossir ou espirrar;
  • Se água e sabão não estiverem disponíveis, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool (com pelo menos 60% de álcool na sua composição); 
  • Limpar e desinfetar os objetos e superfícies tocados com frequência usando álcool ou desinfetante;
  • Proteger sua boca quando tossir ou espirrar, utilizando um lenço de papel que depois deve ser descartado no lixo.

As pessoas com diabetes teriam  um maior risco de contrair o Coronavírus?

As pessoas mais velhas (faixa dos 80 anos) ou que apresentem problemas respiratórios crônicos como bronquite e asma ou pessoas que fumam apresentaram, até o momento, maior vulnerabilidade em adquirir o COVID-19.  Pessoas que apresentam doenças que podem causar uma queda na imunidade (sistema de defesa do organismo contra infecções) como por exemplo, pacientes desnutridos e com anorexia nervosa severa, também podem ser mais vulneráveis.

No caso do diabetes, seja tipo 1 ou tipo 2, quando as glicemias se mantém sempre altas (mal controlado, portanto), a imunidade pode ficar mais baixa e com isso, também, a pessoa  se torna um alvo mais fácil para adquirir qualquer tipo de virose. E, por outro lado, é importante lembrar que até mesmo resfriados comuns podem alterar a glicemia.  Recomenda-se, nestes casos, verificar a glicose através do teste de glicemia capilar (“ponta de dedo”) ou pelo sistema flash (FreeStyle Libre) um maior número de vezes por dia e aplicar a insulina de ação ultrarrápida conforme as orientações médicas. 

Mantenha também a sua caderneta de vacinação em dia. Isto ajudará a evitar dificuldades com o diagnóstico de doenças que apresentam sintomas comuns ao do coronavírus (febre, coriza, dor de garganta, tosse).

As pessoas que acham que podem ter sido expostas ao COVID-19 devem entrar em contato com seu médico imediatamente.

3D illustration of the novel coronavirus
FONTE DA IMAGEM: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/index.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *