Por trás da notícia: Congresso da SBD

Há anos sou apaixonada por cobertura de congressos na área médica, como já venho contando aqui na coluna. E, em tanto tempo, o que não faltam são histórias. Aproveitando a reportagem sobre o Congresso da Sociedade Brasileira de Diabetes, que acontece esse mês, lembrei de um desafio que ultrapassamos com a equipe da Revista.

O projeto, que foi apresentado e aprovado pela Servier, era de montar uma redação da nossa revista dentro de um estande durante o Congresso. Até aí, isso já fez parte de nossos projetos para outros eventos. A questão era outra. O desafio era lançar a edição especial da Revista um dia após a realização do evento em São Paulo, ainda no formato anterior com muitas páginas.

O Diabetes 2017 terminava em um sábado e no domingo a edição especial da Revista estava prontinha e publicada. Como fizemos?

Durante o Congresso de Diabetes

Nos dias do evento, a equipe da Revista EmDiabetes fez diversas entrevistas com especialistas em um espaço criado para a redação online. Vários médicos conversaram conosco e, ao longo dos dias, fizemos análises da programação no fim do dia, o que foi uma das opções que mais o público gostou.

Observamos que o público queria ouvir nossa opinião sobre debates importantes. Nossa função é traduzir a linguagem médica para o público e isso tem um nome: jornalismo científico. Uma área que cresceu na pandemia e precisa de muito cuidado.

Fizemos lives também nas redes da Servier, que foram os patrocinadores da iniciativa.

Muitas anotações, observações, vídeos, fotos e informações que serviriam para a edição especial sobre o Congresso.

Depois do Congresso de Diabetes

O Diabetes 2017 terminou por volta da hora do almoço e era hora de começar mais uma etapa do trabalho. Vai aqui um agradecimento especial a duas pessoas especiais – Suzel Barbosa Pupo e Nerá Barbosa Pupo – primas que nos ajudaram no fechamento da Revista.

Mas como assim? Invadimos, lógico que com o convite dela, a casa e a sala de jantar virou nossa redação. Foram cerca de seis horas trabalhando, fechando as matérias, escolhendo fotos e diagramando a Revista. Terminamos e precisávamos de um tempo para aprovação e revisão do conteúdo todo, que só aconteceria no dia seguinte, como previsto.

Acordamos, tomamos café e pé na estrada de volta ao Rio de Janeiro. No meio da manhã, todos aprovaram e liberaram. Era hora de parar no meio da estrada, em uma das paradas da Dutra e publicar a matéria no site.

Uma aventura louca e que é a cara dessa equipe da Revista. Foi incrível e quando lembramos desse momento, gostaríamos de repetir tudo de novo. Cansaço? Lógico, mas valeu muito a pena.

A equipe na época contava comigo e com Celso Pupo, Juliana Lessa, Geraldo Fisher, Daniel Ramalho, Pablo Silva, Sheila Vasconcellos e a coordenação científica do Dr. Leão Zagury.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *