Diabetes: Planejando a Gravidez

Pensar no planejamento familiar é muito importante para a mulher que tem diabetes. Para se preparar para esta fase tão importante, trouxemos algumas recomendações da  Dra. Patrícia Peixoto, endocrinologista e palestrante do projeto Ases Care de atenção multidisciplinar ao paciente diabético, Membro efetivo da SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia), da Abeso (Associação Brasileira para Estudos da Obesidade) e da Endocrine Society.

Quanto mais informação segura e confiável, melhor, confiram!  

Endocrinologista Dra. Patrícia Peixoto
  • Preparação: Pelo menos 3 meses antes de engravidar, a mulher deve manter um bom controle glicêmico, com manutenção da glicemia de jejum (<100mg/dL) e hemoglobina glicada (<6,5%), além de um adequado controle da variabilidade glicêmica;
  • Indicadores: Para manter o controle adequado da variabilidade glicêmica, a mulher com diabetes deve fazer a monitorização da glicemia com mais frequência ao longo do dia. As grávidas podem usar os aparelhos de monitorização que não exigem a punção do dedo mas ainda sim, é importante fazer a correlação com a glicemia capilar em alguns momentos determinados pelo médico;
  • Suplementação: É importante verificar os níveis de vitamina D, fazendo reposição com doses diárias da Vitamina D, se for necessário, com orientação médica. A suplementação de ácido fólico deve ser utilizada para prevenção de malformações do tubo neural e outras;
  • Probióticos: Embora estudos de uso de probióticos na gestação tenham mostrado benefícios para um melhor controle da glicemia e outros parâmetros metabólicos, eles ainda não são recomendados de rotina;
  • Comorbidades: Mulheres com diabetes tipo 1, têm maior risco de desenvolver disfunção autoimune da tireoide. Caso ainda não tenha sido investigada em relação a isso, deverá fazê-lo, além de monitorar as dosagens hormonais tireoideanas a cada trimestre da gestação;
  • Controle do Peso: As prescrições de dieta devem ser individualizadas e modificadas ao longo da gravidez, com monitoração do ganho de peso materno e fetal. O peso da mulher antes da gestação deve estar dentro do IMC normal. Se não estiver, o ideal é que seja possível atingir o peso normal  antes de engravidar.
    Já grávida, a mulher deverá fazer um acompanhamento nutricional adequado às suas necessidades. 
    As que engravidarem acima do peso deverão ter um cuidado redobrado e alvos de ganho de peso diferentes. Para isso, é muito importante ouvir uma nutricionista com experiência em gestação. Se por um lado o ganho de peso excessivo é prejudicial, determinadas restrições alimentares nesta fase podem não ser adequadas;
  • Exercício Físico: Sempre que possível, deverá ser mantido. Para as mulheres que estiverem sedentárias ao engravidar, recomenda-se exercícios leves após o primeiro trimestre, com liberação do obstetra.

Por Sheila Vasconcellos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *