Bernardo Abreu: O Treinador e a Causa Diabetes

Quando criança, Bernardo Abreu jogava futebol em escolinhas, mas aos 14 anos, rendeu-se ao bodyboard. Foi campeão Universitário e da Taça Portugal na modalidade e chegou a ficar em 12º lugar no Campeonato Nacional Português.

Após a carreira de atleta, decidiu tornar-se treinador e seus pupilos já conquistaram resultados de expressão, como os títulos nacionais nas categorias sub 12, 14, 16 e 18. Bernardo também treinou Catarina Sousa, que já obteve o 4ª lugar em nível mundial, além de Madalena Guerra e Miguel Ferreira, campeões europeus por seleções.

Entre competições e treinos, Abreu já viajou para lugares como o México, Indonésia, Ilhas Canárias, Cabo Verde, República Dominicana e Califórnia. Considera que a adaptação alimentar não é tão difícil de encarar quanto a temperatura atmosférica dos países quentes, mas que em lugares onde há pouco consumo de carboidratos e gorduras, como na Indonésia, costuma ter que usar menos unidades de insulina.

Bernardo, que é um dos donos de uma escola de bodyboard, já realizou vários trabalhos com crianças com diabetes em parceria com a farmacêutica Roche e já surgem os primeiros alunos com a disfunção em sua escolinha. “Eu digo que agora eles fazem parte do meu time: o time que deve praticar esporte por toda a vida”, conta e considera que vem notando sua importância nesse papel: “É mais fácil, para eles, tirarem suas dúvidas sabendo que eu tenho diabetes. Eles têm a porta aberta para perguntar o que for preciso”. Além disso, tendo o bodyboard como grande paixão, a carreira de treinador lhe caiu muito bem: “É bom ensinar o que nós mais gostamos”, afirma.

Enfim, como todo professor, o bodyboarder e treinador tem as suas dicas para sobre os cuidados que cada um deve ter ao praticar esportes, principalmente com o diabetes. Para Bernardo ser um atleta de alta performance já é algo bem mais complicado do que o próprio convívio com o diabetes e quem convive com a disfunção deve estar sempre preparado para as hipoglicemias, além de não esconder sua condição de ninguém: “Você e todos os que trabalham consigo devem saber resolver essa situação (de hipoglicemia)”, defende o atleta que costuma encorajar seus alunos: “Não deixes de fazer algo por ser difícil. Nada, mas nada mesmo, é impossível”, conclui.

Veja abaixo o vídeo com performances de Bernardo Abreu nas ondas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *