Audiência Pública no Dia Mundial do Diabetes no Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro enfrentou um ano com muitas dificuldades para garantir os direitos das pessoas com diabetes. Com a crise da saúde, o fornecimento de insulinas, fitas para medição da glicemia e insumos indispensáveis para o controle do Diabetes foi gravemente prejudicado. Apesar da articulação das associações e de várias mobilizações feitas por grupos de pacientes e familiares ao longo do ano, os problemas ainda persistem até hoje.

Neste cenário, para marcar o Dia Mundial do Diabetes foi realizada uma audiência pública, proposta pela Frente Parlamentar de Combate e Prevenção à Tuberculose, Aids e Diabetes (Alerj – Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro), com o tema: A mulher, o diabetes e o acesso a direitos e cuidados.

O evento aconteceu na manhã do dia 14, no auditório da Alerj e aliou o tema para conscientização da Federação Internacional do Diabetes (IDF) – A Mulher e o Diabetes com uma situação atual.  Um dos assuntos abordados pela vice-presidente da ADILA – Associação dos Diabéticos da Lagoa, Sheila Vasconcellos, foi a escassez de medicação, educação e tratamento para pessoas com diabetes na cidade e em vários municípios do Estado do Rio e como isto é grave:

“É impossível ter o controle do diabetes sem a quantidade de fitas adequada e as insulinas prescritas pelo médico. A falta de insumos para uma pessoa com diabetes atinge o paciente, sua família e as pessoas que estão à sua volta.”

A Dra. Melanie Rodacki, representante Sociedade Brasileira de Diabetes, explicou sobre o diabetes, seus sintomas, os tipos de diabetes e como é possível cuidar da doença e garantir uma vida plena, desde que o paciente e a família tenham acesso ao tratamento adequado.

Sobre o Diabetes e a Mulher, falou a Dra Lenita Zajdesverg, endocrinologista da UFRJ, sobre o diabetes gestacional, as questões hormonais que envolvem a mulher com diabetes e como ela pode enfrentar os vários desafios ao longo da vida; além de dados sobre a incidência da doença nas mulheres.

Participaram ainda da audiência a advogada Naide Marinho, da CAARJ – Caixa de Assistência dos Advogados do RJ; pela Frente Parlamentar: os deputados Gilberto Palmares, Dr. Julianelle;  presentes também  os representantes das associações de pacientes: Melody Gomes (Hospital do Fundão e IPPMG), Ana Maria da ADIFAT (Associação dos Diabéticos e Familiares de Tanguá) e Flávia Soares (Associação dos Diabéticos do Hospital Geral de Bonsucesso (HGB).

A ADIFAT, a associação do Hospital de Bonsucesso e a ADILA receberam cada uma moção da Alerj pelo importante trabalho que executam pela causa do diabetes. Ao final da audiência, houve uma manifestação nas escadarias  do Palácio Tiradentes em defesa das pessoas com diabetes  e por uma solução diante da  falta de insumos no Rio.

Por Sheila Vasconcellos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *